tradutor

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Quem Somos Nós...O que fazemos Nós...

Pastora Márcia nascimento


Professora, psicopedagoga clínica e institucional,musicista, técnica em computação. Estrategista em missões transculturais.
Presidente da Fundação Red Horses- Para conhecer mais acesse www.redhorsesgroup.blogspot.com.

Contribuições:
Banco Bradesco -Ag 1599-7
conta 0211827-0

Marcia Maria Nascimento de Souza

Você se Importa...

DOAÇÕES

Notícias SBB

Um Milagre para Guiné Bissau

Quem sou eu

Minha foto

 ministra do evangelho, com experiência e alvos relacionados a missões nacionais, culturais e transculturais, bem como transnacionais.

Ministrar a mulheres em situações de risco.Treinar mulheres na Costa Oeste Africana, para geração de renda e melhoria da educação formal e familiar.

Seguidores

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Amadas, filhas de Sara!


No dia 28 de Março passado, completamos um ano de ministério, pelo menos aquele que Deus começou comigo. Dizer que parece que foi ontem, é redundância; é repetição de muitas declarações já feitas, quando o tempo de algum acontecimento passa rápido demais...não parece que foi ontem, parece o tempo decorrido de 16 anos atrás, quando, na verdade, o Espírito trouxe ao meu coração um sonho, de que nasceria do coração do Pai, um filho, que eu não sabia, muita coisa sobre ele, foi há muito tempo mesmo...

Nascimento é isso mesmo, o nascimento de uma criança, por exemplo, "é precedido de meses de esforço, em que a mãe carrega seu peso e pelo penoso trabalho de parto." Quem já teve um filho sabe do que estou dizendo. Os últimos meses, então, parece interminável..."

O nascimento de um filho espiritual também é assim. Jesus orou por sua igreja, mas, depois, para que ela nascesse, Ele teve de entregar a própria vida. Também Paulo orava "noite e dia, com máximo empenho" pela igreja, mas não só isso, ele sofreu o trabalho de parto em relação a pecadores. Ele não diz apenas que orou por eles, mas dá a entender que sofreu a dor do parto por eles."Se o número de nascimentos físicos fosse igual ao dos espirituais, a raça humana estaria quase extinta...a mulher que aguarda o nascimento de um filho se cansa mais à medida que o dia se aproxima, e muitas vezes passa noite sem claro e derrama lágrimas."( as palavras entre aspas é de autoria de Leonard Ravenhill, no seu livro: Porque tarda o pleno avivamento?)

Então, eu diria, que foi mais ou menos assim que nasceu, no tempo de Deus, o Filhas de Sara que Ele colocou no meu coração, onde foi gerado em mim. Muitas pessoas que conhecem em que circunstância, recebi do Pai a ordem para iniciar o projeto dEle, embora me conheçam e saibam que eu não desisto dos sonhos que Deus coloca no meu coração, talvez como eu mesmo, não entendiam como seria isso. Os "sinais"eram péssimos...

Pela boca de Pedro, foi que pela 1ª vez, ouvi falar deste propósito do Senhor: "Como Sara...da qual vos tornastes filhas, praticando o bem e não temendo perturbação alguma." Mesmo em meio a aflições, vislumbrei este filho, que foi gerado pelo Pai em meu coração; foi com muitas dores que gerei e estou gerando filhas. Mas a palavra e a vontade de Deus, precisavam se tornar realidade. Ele deu à igreja, o poder de gerar filhos espirituais para Ele mesmo. Sua palavra só é cumprida se a igreja o fizer. Ele não tem outro meio para fazê-lo; temos visto muita negligência do povo de Deus. Ele aguarda nossa obediência como Pai que já deu todas as instruções à sua igreja de como gerar filhos.

Passei dias e noites me derramando na presença do Pai, precisava saber precisamente como tudo aconteceria e se realmente era plano dEle ou se era meu plano, coisas da minha mente; então entendi que gerar filhos, é como numa lavoura, alguém tem que semear, mas quem dá o crescimento são os fatores da natureza que interferem no solo, e no nosso caso, Deus. É, exatamente, isso que a palavra nos diz, sobre gerar filhos espirituais, através de Paulo: "Eu plantei, Apolo regou, mas quem dá o crescimento é Deus." (1ª Coríntios 3:6)

Então, hoje, vejo a testificação do alto, muitas mulheres de muitos lugares, não apenas de Sergipe, se juntando a nós do ministério, como um todo. Mulheres que enfrentavam problemas conjugais, problemas profissionais, problemas de existência, muitas se sentindo sós, com problemas de doença na família, debilitadas na fé; mulheres que mesmo fazendo parte da igreja de Cristo e até em papel de liderança, estavam sem saber o que fazer com os problemas pessoais, estavam por isso, debilitadas, algumas me escreveram dizendo que estavam desanimadas, feridas...enfim, filhas em meio a dores que precisavam de quem as gerasse com dores...

"Foram preciso sete (7) anos de trabalho:Para que Carey conseguisse batizar o primeiro convertido na India; Para que Judson conquistasse o primeiro discípulo na Birmânia; Para que Morisom levasse a Cristo o primeiro chinês; Para que Moffat visse as primeiras evidências da operação do Espírito Santo no local onde trabalhava na África; Para que Henry Richards ganhasse o primeiro convertido em Banza Manketa."

Na natureza humana nós sabemos que é preciso nove (9) meses, para que um filho seja gerado; para aqueles servos de Deus do passado, missionários, que estavam gerando filhos espirituais, em várias nações, foram preciso sete (7) anos de trabalho dedicado. Anunciando o evangelho com oração, lágrimas, e amor profundo pelo Senhor Jesus e pelas almas perdidas. Para mim foram dezesseis anos...

Em tempos de fertilidade o Pai não me autorizou começá-lo. Eu vivia dias de, aparente esterilidade, pelo menos na minha vida emocional, com sérios problemas conjugais, na minha vida financeira e até no ministério pastoral que exercia com meu marido...mas não na minha experiência de intimidade com Deus, ao contrário, cada dia mais e mais me colocava diante do Deus Triuno, prostrada em adoração, certa de que Ele estava, e está comigo, glórias à Ele, me conduzindo em triunfo por causa de Cristo!
O diabo queria me paralisar, queria me fazer sentir derrotada, e até disse por boca de alguns irmãos de que eu não podia ajudar ninguém do jeito que estava, porque não podia falar de vitória para ninguém.

Mas, fortalecida pelo Espírito Santo, com um coração na posição de serva e guardado igualmente com minha mente, com "a paz que excede a todo entendimento", convicta do chamamento do Pai, testificado no meu coração e por boca de dois profetas que Ele mesmo usou, e que nem me conheciam, disse: Levante-se de onde você está, e cumpra o ministério que tenho lhe dado há dezesseis (16) anos, esse é o tempo; "Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, pensamento de paz e não de mal para vós dar o fim desejado." ( Jeremias 29:11). Ai,"a paz, que é o arbitro no nosso coração", completou a testificação.

Eu não entendia muita coisa a respeito do porque nesse tempo de escassez na minha vida, Deus me dizia para começar um ministério como esse...Então, lendo o livro: "Porque tarda o pleno avivamento" de Leonard Ravenhill, entendi porque foi em tempo de esterilidade que o Senhor me confiou essa tarefa, porque foi assim com as mulheres na Bíblia: "Foram as mulheres estéreis que geraram os homens mais nobres das escrituras: Sara, como não podia deixar de ser, a primeira mencionada, que foi estéril até a idade de noventa anos, gerou Isaque, de quem veio Israel; Raquel, em resposta ao seu clamor: "Dá-me filhos, senão morrerei", gerou José, que foi o libertador da nação; a esposa de Manoá gerou a Sansão, outro libertador; Ana, de alma abatida, chorou no santuário, perseverou em oração, ignorou a zombaria de Eli, o sacerdote, derramou a alma perante Deus e gerou Samuel, que se tornou um homem de Deus completo, sacerdote, profeta e uma espécie de juiz; Ruth que além de estéril era viúva, gerou Obede pela misericórdia do Senhor, de sua linhagem veio Davi e da qual veio Jesus, nosso salvador; Isabel. que já era bastante idosa, sem possibilidade de gerar filhos, gerou João Batista, sobre quem Jesus afirmou que não havia profeta maior, dentre os nascido de mulher.
Se essas mulheres, não se sentissem humilhadas pelo fato de não terem filhos, e não cressem, e não perseverassem em tê-los, e se acomodassem com sua sorte, que homens valorosos a nação de Israel teria perdido!"

Assim eu, assim você, minha querida irmã! Para mim era como se aquelas mulheres tivessem dizendo em alta voz, a Satanás "que veio para roubar, matar e destruir...", com sua vida de fé, de entrega e esperança na palavra e no Deus da palavra: Minha vida pertence "Àquele que veio para dar vida e vida em abundância", assim você vai ter que assistir, rastejando no pó, pelo poder que há no nome de Jesus, minha vida frutífera, de vitória declarada e conquistada na cruz do calvário por Cristo Jesus! Não permita que o inimigo roube sua fé, minha querida irmã, filha de Sara! Frutifique na oração; frutifique no testemunho; frutifique na adoração; frutifique, gere filhos espirituais! Não importa o que você esteja passando...sinta-se humilhada e se levante para exaltar o Senhor, com sua posição de fé, e de mulher que gera filhos, e por Ele ser exaltada. Mostre com sua vida de fé e perseverança no Deus que age no impossível, que sua vida vai gerar filhos mesmo que sua vida, tenha a aparência estéril, o Senhor pode dar-lhes filhos, creia!
Convoco você a entregar totalmente sua vida ao Senhor como mulher, mãe, esposa, filha, profissional...porque ai então, você gerará filhos ilustres para as nações, para o Senhor. E sua vida será a vida que Deus sonhou pra você.

Que pelo Espírito Santo, sejamos guiadas em todas as coisas nestes tempos difíceis, e que as vezes parecem não ter fim, mas tenhamos a certeza de que, Ele sempre nos guia por terreno plano, mesmo que sejam de altos e baixos; por terreno fértil mesmo que seja uma terra estéril; e por manancial de águas, mesmo que seja num deserto. Aleluia!

Seja esta a nossa oração, o nosso clamor neste tempo: "Dá-me filhos senão morrerei!"

Denise Malafaia Cerqueira, filha de Sara em Sergipe

extraido do blog http://minifilhasdesara.blogspot.com/
Escrito e postado por
Denise Malafaia Cerqueira, filha de Sara em Sergipe

Um comentário:

Denise Malafaia Cerqueira disse...

Olá, Márcia!
Não sabia que você havia postado uma mensagem do nosso blog. Fico feliz em poder colaborar com esse projeto tão lindo de Deus que é abençoar seu ministério.
Eis-me aqui, sou sua serva, amada irmã!
Deus tem contemplado seu coração doador e Ele está controlando tudo na sua vida.
O Filhas de Sara, e sei que possso falar por Cláudia, está de braços dados com você nessa caminhada para abençoar muitas mulheres daqui, do Brasil, de Guiné-Bissau, e de todos os outros lugares, onde o Senhor nos permitir chegar.
Graça e paz, em Cristo!

ADOTE ESTE POVO:

Os fulas eram pastores de gado e ovelhas que no século XV entraram no ocidente da África. Alguns ficaram e passaram a dedicar-se à agricultura adotando a organização social dos mandingas e dos chamados fulacundas ou fulaforros. Devido a uma guerra travada no século XIX outros fulas vindos do norte começaram a imigrar com escravos de origens distintas chamados fulas "negros". Isso resultou em uma sociedade de classes estratificadas sendo os fula forros os "livres" e os fulacundas os "escravos"

Estatísticas

O POVO

Nome do Povo: Fulacunda
País: Guiné-Bissau
Sua língua: Fulacunda
População: 180000
Maior Religião: Islamismo
Cristãos: .03%
Escrituras disponíveis em sua Língua: Porções Bíbl
Evangélicos (desse povo no país): 70 (.04%)
.

Carta da Missionária Eugênia : Guiné- Bissau!

De:
Eugenia Yatibuto Bedeslei

A paz do Senhor!
Boas Festas e feliz 2010.
Peço desculpas pelo silêncio prolongado da minha parte é porque não
foi nada fácil o último trimestre passado, senti mesmo a força das
vossas orações me sustentando. O médico aqui descubriu que o meu pai
estava com tumor mas aqui na Guiné não tem aparelhos para descobrir se
o tumor é maligno ou não e eu não tenho recursos para levar o meu pai
para fora do País, foi muito difícil para mim, mas como ele estava com
muitas dores, orei e depois Deus tocou no coração de um irmão e ele me
emprestou o dinheiro aí liberamos o médico para fazer cirurgia e
graças a Deus correu bem eu creio, simplesmente eu tenho que crer e
mais nada. Graças as vossas orações estamos aqui indo na graça de
Deus.
Estamos indo muito bem nos encontros das Filhas de Sara mas este ano
decidimos colocar esses encontros uma vez por mês porque as irmãs
todos os sábados tinham que estar fora das suas casas porque tem
outras actividades além das Filhas de Sara e aquelas que são casadas
com homens que não são crentes estavam tendo problemas com seus
maridos. Orem por nós aqui porque o diabo está atacando muito as irmãs
porque o trabalho está correndo muito bem mas não vamos temer o diabo
com seus demónios já estamos certas de que já vencemos simplesmente
temos que ser prudentes.
Orem muito pelas irmãs: Muscuta, Elimiana e Marlem. A Marlem o marido
bateu nela no sábado passado dia 9 do corrente e deixou ela fora de
casa durante a noite e eu sem poder fazer nada simplesmente estava
orando a noite e falando com ela durante a noite para a encorajar
porque ela estava muito triste e desanimada. Orem todos os dias por
nós principalmente por essas irmas e seus maridos, está muito
complicado e muita coisa pra mim.
Amo muito vocês e acredito muitas irmãs viram para o nosso acampamento
para ajuntar-se conosco e nos ajudar. Até breve se Deus quiser.
Sejam sempre perseverantes na ob ra do Senhor ... Coloss. 3:23. Neemias 4:20